O que são Chakras?

 

Sabe aquelas histórias antigas de dragões guardando tesouros fabulosos? Se você pensou “O Hobbit”, por exemplo, toca aqui! (não seja tímida(o)! faz um “high five” aí com a tela do seu celular ou laptop!) 

Pois é, vou te contar uma história que também tem a ver com uma serpente e um tesouro, mas na verdade a serpente e o tesouro estão dentro de você. Isso mesmo! Dentro de você, mais precisamente na base da sua coluna vertebral, dorme silenciosamente uma serpente enrolada. Ela é conhecida como Kundalini, uma energia divina adormecida que está à espera de ser despertada. E o tesouro? Bem, o tesouro é o incrível potencial que essa energia tem para transformar a sua vida​.

 

Kundalini – O Poder Adormecido

Agora, vamos falar dessa tal de Kundalini. Então, sabe quando você está jogando um game e consegue um power-up super legal que te deixa mais forte ou te dá habilidades especiais? Então, Kundalini é meio que isso, mas na vida real.

Em sânscrito, Kundalini significa “serpente enrolada”. Os antigos acreditavam que a energia divina estava “guardada” na base da nossa coluna vertebral, como uma serpente enrolada esperando para ser despertada. E essa energia é algo com o qual já nascemos. Antigamente, uma vertente do Yoga e do Tantra trabalhava as posturas e respirações para “desenrolar a serpente” e nos conectar com essa energia divina dentro de nós​.​ Hoje, essa prática é conhecida popularmente como “Kundalini Yoga”.

Aliás, sabe por que simbolicamente a serpente é associada a “shakti”, ou seja, “poder”? Porque ela é um ser que se move sem ter braços ou pernas, ela é inteira músculo, potência! Legal, né?

Agora, você deve estar se perguntando: “E como eu faço para despertar essa tal de Kundalini? E o que acontece se eu fizer isso?” Como eu falei, é aí que entram as práticas antigas do Yoga e do Tantra, práticas milenares que foram criadas justamente para isso. Por meio de exercícios específicos, posturas, respiração e meditação, essa energia adormecida é ativada e sobe pela coluna vertebral, percorrendo todos os centros energéticos do nosso corpo, que são conhecidos como “chakras”​​. Aí que a brincadeira começa!

Então, preparado para essa aventura de autoconhecimento e transformação?

 

O que são os Chakras?

Imagine que você é como uma grande casa, cheia de cômodos diferentes. Cada cômodo tem uma função específica, certo? Você não vai cozinhar no banheiro nem tomar banho na sala de estar, não é mesmo? (Bom, pelo menos espero que não!). Pois bem, assim como a sua casa, o seu corpo também tem diferentes “cômodos”, que são chamados de chakras. Eles são como centros de energia que cuidam de diferentes aspectos do seu bem-estar físico, emocional e espiritual.

 

Os chakras são como rodas invisíveis de energia que ficam girando em pontos específicos ao longo da sua coluna vertebral. Existem seis chakras principais e cada um deles tem uma cor, uma vibração e uma função específica. Por exemplo, temos um chakra na região do coração que cuida das questões de amor e compaixão. Já o chakra localizado na testa, conhecido como “terceiro olho”, está relacionado à intuição e à sabedoria.

Apesar da palavra “chakra” significar literalmente “roda”, cada um desses centros de energia é simbolicamente representado por uma flor de lótus. Não só isso, mas a cada um é associado um mantra principal, uma cor, um elemento e uma forma geométrica! Tudo isso é carregado de simbolismo e traz informações importantes sobre cada chakra e o que ele tem para nos ensinar sobre a vida!

Agora, voltando à imagem da casa, imagine se um desses cômodos da sua casa estivesse todo bagunçado, com coisas espalhadas por todo lado, dificultando a passagem. Não seria nada legal, né? O mesmo acontece com os chakras. Quando um chakra está bloqueado ou desequilibrado, pode causar problemas na área da vida que ele rege. Mas não se preocupe! Assim como podemos arrumar um cômodo bagunçado, também podemos equilibrar nossos chakras. Como? Uai, com técnicas de yoga e meditação, claro! Mas, tem atividades do dia a dia que também podem ajudar!
Vamos ver agora cada um dos chakras e o que fazer para dar uma equilibrada neles!

 

Quais são os chakras?

 

  1. Muladhara (Chakra Raiz): Esse é tipo a sua âncora. Quando você está se sentindo meio fora do eixo, tipo quando derruba o café no teclado do computador ou esquece o aniversário da sua mãe, é bom fazer umas caminhadas na natureza ou cuidar de umas plantinhas. E comer coisas saudáveis também ajuda! Geralmente este chakra é representado com quatro pétalas e a cor vermelha. O elemento associado é a Terra, sua figura geométrica é um quadrado. Mantra principal – LAM
  2. Svadhisthana (Chakra Sacral): Esse é o chakra da criatividade e da paixão. Se você está sentindo que a sua vida tá meio cinza, dançar na sala ou pintar um quadro pode ajudar a colocar um pouco mais de cor no seu dia. E posturas de yoga que mexem com a região do quadril também são super legais para isso. Tradicionalmente, este lótus possui seis pétalas e é associado à cor laranja. O elemento relacionado é a Água, e sua figura é a meia lua. Mantra principal – VAM 
  3. Manipura (Chakra do Plexo Solar): Sabe aqueles dias em que você não está se sentindo tão incrível quanto realmente é? Então, esse chakra tem a ver com isso. Praticar afirmações positivas, tipo “eu sou o máximo” ou “eu posso fazer isso”, pode te ajudar a se sentir mais poderoso. E posturas de yoga que fortalecem o abdômen também são uma boa. Normalmente, este lótus tem dez pétalas e é representado pela cor amarela. O elemento associado é o Fogo e a figura é um triângulo. Mantra principal – RAM 
  4. Anahata (Chakra do Coração): Esse chakra é todo sobre o amor. Se você está se sentindo meio fechado para o mundo, experimente fazer algo gentil por alguém ou meditar sobre coisas que você ama. Posturas de yoga que abrem o peito também ajudam muito! Geralmente, tem doze pétalas e é representado pela cor verde. O elemento relacionado é o Ar e a sua figura é uma estrela de seis pontas (dois triângulos sobrepostos, representando o ponto de conexão dos chakras inferiores com os superiores). Mantra principal – YAM 
  5. Vishuddha (Chakra da Garganta): Sabe quando você quer dizer algo, mas as palavras simplesmente não saem? Esse chakra é sobre isso. Cantar a sua música favorita no chuveiro ou escrever um diário pode te ajudar a se expressar melhor. E posturas de yoga que abrem a garganta e o pescoço são um plus. Tradicionalmente,este chakra é um lótus de dezesseis pétalas e é associado à cor azul clara. O elemento é o Éter ou Espaço e a sua figura é um círculo, representando a lua cheia. Mantra principal – HAM 
  6. Ajna (Chakra do Terceiro Olho): Esse é o chakra do “Eu sei”. Quando você quer confiar mais na sua intuição, meditar ou estudar um pouco sobre coisas que te intrigam podem ser úteis. E posturas de yoga que te fazem focar no espaço entre as sobrancelhas são como um treino para a sua intuição. Normalmente, possui duas pétalas e é representado pela cor índigo. Não há um elemento físico diretamente associado a este chakra, pois nesse estágio todos eles já foram transcendidos. Sua figura é um círculo com um triângulo invertido. Mantra principal – OM 

Espera aí… seis chakras? Não são Sete?

Pois é. Esse assunto é um pouco controverso. A maioria dos textos clássicos, como o Shat Chakra Nirupana (“desenvolvimento dos seis centros de energia”, numa tradução livre), como o nome indica, apontam apenas seis chakras. O que seria o sétimo na verdade é um ponto de conexão da sua individualidade como o universo, do pessoal com o divino. 

Se procurar, no entanto, você vai achar muita informação sobre o sétimo centro, no entanto as fontes são desconhecidas. E, não sei quanto a você, mas em termos de Yoga eu prefiro conhecer bem minhas fontes!

 

Mas… e eu com isso?

Honestamente, essa é uma pergunta que oriento todos os meus alunos a fazer! Se você lê ou escuta algo e não acha alguma aplicação prática pra isso, provavelmente isso cairá no esquecimento e não vai fazer diferença na sua vida. E yoga É a nossa própria vida. Então, isso não pode ficar assim!

O conhecimento dos chakras e da kundalini pode te ajudar a equilibrar alguns pontos-chave do seu corpo ou personalidade sem grande esforço ou, pelo, menos, assessorar algum processo de cura pelo qual você está passando.

Agora, se você está pensando: “Poxa, mas eu nunca fiz yoga antes, isso parece meio complicado”, não se preocupe! No começo, os cânticos, o controle da respiração e algumas posturas podem parecer meio estranhos. Mas para tirar o máximo desta prática espiritual, é muito importante se comprometer com a prática, aparecer consistentemente e vir com a mente aberta. E lembre-se, não tem problema se você não entender tudo de uma vez, a ideia é ir aprendendo e se aprofundando aos poucos​​.

Então, que tal tentar despertar o seu super poder escondido e ver o que acontece?

 

Leandro Casttelo Branco

Leandro Castello Branco, coordenador do Saraswati Studio de Yoga no Rio de Janeiro, vive o Yoga há mais de duas décadas. Morou seis meses na Índia em 2006 e desde então teve a oportunidade de viajar estudando vedanta, yoga e meditação com diversos mestres como Swami Dayananda Saraswati, S.S. o Dalai Lama e o mestre zen Thich Nhat Hanh. É autor do "Guia Prático para o Coração do Yoga", que chegou a ser um dos mais vendidos da Amazon/Kindle na categoria "Saúde e Família" e hoje já formou mais de 520 professores de Yoga. Em 2017 iniciou um trabalho online que já impactou centenas de milhares de pessoas em cursos, workshops e palestras.

Me acompanhe nas redes sociais


Autor
Posts + populares
×