Raja Yoga – O Yoga… real?

Quando se fala em yoga, a primeira imagem que muitas pessoas têm em mente é alguém fazendo posturas complicadas, esticando o corpo de maneiras aparentemente impossíveis. Embora esse seja um aspecto importante do yoga (mexer com o corpo, não brincar de ser um pretzel!), há muito mais profundidade e complexidade por trás dessa prática milenar. Uma das abordagens mais abrangentes e significativas do yoga é o Raja Yoga, também conhecido como o “Caminho Real”. 


Você sabe o que é Raja Yoga? Não, não é um novo sabor de iogurte ou a mais recente dancinha do TikTok. É um dos caminhos para a iluminação mais bem descritos no mundo do yoga, com começo, meio e fim bem definidos!

O Raja Yoga é conhecido como o “Yoga Real”, mas o que isso realmente quer dizer?

 

O Yoga e Suas Muitas Ramificações

 

Para entender o Raja Yoga, é útil dar um passo atrás e examinar o panorama geral do yoga. O yoga é uma tradição antiga originária da Índia que engloba uma ampla gama de práticas físicas, mentais e espirituais. Embora muitos pensem no yoga principalmente como uma forma de exercício físico, essa é apenas uma das muitas abordagens.

 

Existem diferentes tipos de formas para abordar o que se entende como “yoga”, cada uma com seu próprio foco e objetivo. Alguns dos estilos de yoga mais populares incluem Hatha Yoga (o yoga físico mais comum), Bhakti Yoga (o yoga da devoção), Jñana Yoga (o yoga do conhecimento) e Karma Yoga (o yoga da ação). No entanto, é o Raja Yoga ou o “Caminho Real” que ganha proeminência nesse meio pois tem uma forma muito bem descrita de como deve ser praticado – e dar resultados!

 

Os Oito Membros do Raja Yoga

 

Para entender o que é o Raja Yoga, é essencial olhar para onde ele foi mencionado primeiro! Nesse caso, não há fonte mais venerada do que os Yoga Sutras de Patanjali. Patanjali, um antigo sábio indiano, é considerado o autor dos Yoga Sutras, que são uma coleção de 196 aforismos (frases afirmativas curtas) que descrevem a filosofia e a prática do yoga.

Os Yoga Sutras de Patanjali são divididos em quatro capítulos, cada um abordando um aspecto diferente do yoga. O segundo capítulo, conhecido como Sadhana Pada, é onde encontramos as instruções específicas para o Raja Yoga. É neste capítulo que Patanjali delineia o “Ashtanga Yoga”, que se traduz como “Os Oito Membros do Yoga”.

O Raja Yoga é como um grande passo a passo (um tutorial do YouTube, para os mais novos) de oito etapas que nos guia em direção à fonte de toda alegria e a capacidade de vivermos bem conosco. 

Os oito passos são esses:

 

  • Yama (Comportamento em relação ao mundo): Essas são as regras de ouro do yoga, como: ser honesto, não machucar nenhum ser (não, isso não inclui suas piadas ruins) e viver com moderação. Em resumo, seja uma pessoa legal.
  • Niyama (Comportamento em relação a si mesmo): Esta é a parte do yoga em que você se torna seu próprio super-herói. Selecione seus inputs (tudo que sua mente recebe), cultive bons pensamentos e sensações, encontre alegria nas coisas simples e continue estudando e crescendo. 
  • Asana (Posturas Físicas): Aqui é onde fazemos aquelas poses incríveis que você vê no Instagram. Não é sobre ser um contorcionista, mas sim sobre manter esse corpo em movimento e saudável. Acima de tudo, mantenha-o conectado com sua mente e seus sentimentos. 
  • Pranayama (Controle da Respiração): Lembra-se de como sua avó dizia para você respirar profundamente quando estava estressado? Bem, ela estava no caminho certo. Pranayama é sobre controlar o prana (também contido na sua respiração) para encontrar obter diversos efeitos na mente, entre eles: calma, concentração, serenidade, disposição, etc.
  • Pratyahara (Retração dos Sentidos): Parece que os sentidos estão sempre nos puxando para direções diferentes, não é? Pratyahara é o primeiro estágio de uma concentração profunda, que acaba “puxando” os sentidos pra dentro. Sabe quando você senta pra ler um livro surreal de bom e esquece da vida? Ali, sentada não ouve mais nada, não enxerga nada além do livro? Então, é por aí.
  • Dharana (Concentração): Basicamente, é a capacidade de focar sua mente em uma coisa só. Hoje em dia, isso parece um milagre, mas é apenas uma consequência da etapa anterior. Persistindo no objeto da meditação, isso vai acontecer cedo, ou tarde.
  • Dhyana (Meditação): Após a concentração, agora é hora de dar um mergulho profundo na meditação. Não que você não estivesse meditando antes… mas é quando o seu objeto de meditação realmente é a ÚNICA cois ana sua mente, coisas interessantes começam a acontecer e pavimentam o caminho para o…
  • Samadhi (Contato com sua própria natureza real): Ah, a iluminação. Este é o estado em que você percebe que está conectado a tudo e todos, e que o universo está trabalhando a seu favor. É como o final feliz de um filme épico, mas melhor.

Além dos Yoga Sutras: Outras Perspectivas sobre Raja Yoga

 

Agora, vale a pena mencionar que, embora estejamos nos aprofundando nos Yoga Sutras de Patanjali, o Raja Yoga também tem significados mais amplos. Além das palavras escritas, ele pode representar o “yoga real” ou o mais alto estado de yoga, que é uma experiência além das limitações dos outros estilos de yoga.

 

Mas, então, por que você deveria se importar com tudo isso? Bem, se você quer melhorar seu controle mental, encontrar paz interior e explorar seu eu verdadeiro, o Raja Yoga pode ser o seu bilhete de ouro. É um caminho profundo e significativo para a realização espiritual que não exige coroas ou tronos, apenas um compromisso com você mesmo.

Em suma, o Raja Yoga é como uma aventura épica, mas em vez de salvar o mundo, você está salvando a si mesmo. Não há dragões para lutar, apenas a mente para conquistar. Então, que a jornada comece, e que ela seja épica em todos os sentidos da palavra. Afinal, o verdadeiro poder está em você.

 

Acompanhe aqui a explicação em vídeo!!

 

 

Ou, assista diret pelo canal do youtube (tem uma playlist!!)
https://youtu.be/_Au6AxJKGf0?si=DPI7CGmlXms3LpgX

Leandro Casttelo Branco

Leandro Castello Branco, coordenador do Saraswati Studio de Yoga no Rio de Janeiro, vive o Yoga há mais de duas décadas. Morou seis meses na Índia em 2006 e desde então teve a oportunidade de viajar estudando vedanta, yoga e meditação com diversos mestres como Swami Dayananda Saraswati, S.S. o Dalai Lama e o mestre zen Thich Nhat Hanh. É autor do "Guia Prático para o Coração do Yoga", que chegou a ser um dos mais vendidos da Amazon/Kindle na categoria "Saúde e Família" e hoje já formou mais de 520 professores de Yoga. Em 2017 iniciou um trabalho online que já impactou centenas de milhares de pessoas em cursos, workshops e palestras.

Me acompanhe nas redes sociais


Autor
Posts + populares
×